O Papel Gerencial: Sua importância nas organizações

Em todos os níveis onde o exercício da liderança seja praticado na gestão de processos, recursos, pessoas, desafios e resultados, o papel gerencial sempre foi importante no contexto organizacional, mas o atual cenário e sua complexidade trazem uma exigência maior quanto ao profissionalismo e qualidade desse grupo. Fazer gestão de pessoas hoje está consideravelmente mais complexo do que há tempos atrás.

Os perfis, valores, posturas, exigências e tudo mais mudaram e com isso a necessidade de fazer melhor é premente. Se antes o problema da falta de bons líderes era algo significativo, imagine agora onde as pessoas estão querendo ser feliz no trabalho, ter oportunidades de contribuir com algo a mais, e fazer parte dos resultados maiores como valor de realização pessoal, do mais alto grau? Elas não querem ser apenas empregados de uma tarefa só. E não aceitam ser comandadas por pessoas que elas não admiram. Isto é muito preocupante, pois estudos atuais, a exemplo do estudo realizado pela ISMA-BR (International Stress Management Association), apontam que mais de 75% das pessoas não estão felizes no trabalho, sendo um dos principais motivos a chefia que têm.

O sucesso ou insucesso de uma organização está nas mãos desse grupo, responsável pela gestão de pessoas e equipes que conduzem os processos, produzem produtos e prestam serviços aos nossos clientes e mercados. Hoje as falhas de gestão aparecem e impactam muito mais no contexto do negócio, especialmente no cenário que vemos de um maior número de processos trabalhistas, a maior parte deles causadas por má aplicação do papel de liderança. Além da perda de talentos e pessoas comprometidas que saem por causa dos seus líderes. Juntando-se a isso, temos do lado da empresa o diagnóstico constatado de que grande parte dos nossos profissionais em cargos de liderança não apresenta a competência, habilidades e tato mínimos para essa missão.

Trabalhar pessoas é hoje fundamental para as organizações que querem fazer a diferença no mercado e este trabalho começa a partir de um despertar do nível de gestão/direção. A verdadeira liderança não se forma somente com treinamento formal, mas que ela se expande ou emerge pelo entusiasmo herdado de modelos vividos e admirados. É nesse ponto que precisamos focar as práticas de desenvolvimento de liderança.

Faça seu Comentário

*Nossa equipe avaliará seu comentário e poderá retirá-lo do site sem nenhum aviso prévio